19 de julho de 2010


Gostava às vezes de ser outra



Gostava às vezes de ser outra.
Outra mulher a sussurrar sem medo
Gostava de ser uma, assim, calma, paciente.
Que levasse a vida devagar, sem agonia.
Assim, como quem não sente.

Gostava de ser outra a descansar,
Tranqüila...
Consciência em paz, sossegada,
De quem não se atira à vida.
Uma assim que não sofresse,
Não parasse, pra pensar...
Não se arrependesse.

Mas não. Tenho o espírito
Em constante rebuliço.
Sempre perguntando o porquê
De tudo isso.
Ora apaixonada,
Ora em desgraça,
Ora alegre, triste, irada.
Danço e brigo,
Vou e volto.

Gostava bem de ser outra,
Às vezes...
(A poesia me abandonava?)

Silvia Chueire

Era uma vez um rapazinho que tinha um temperamento muito explosivo.

Um dia ele recebeu um saco cheio de pregos e uma
tábua de madeira.


O pai disse-lhe que martelasse um prego na tábua cada vez que perdesse a paciência com alguém. No primeiro dia o rapaz pregou 37 pregos na tábua. Ja nos dias seguintes, enquanto ele ia aprendendo a controlar a
sua raiva, o numero de pregos martelados por dia foram diminuindo gradualmente.


Ele descobriu que dava menos trabalho controlar a sua raiva do que ter que ir todos os dias pregar vários pregos na tábua...


Finalmente chegou o dia em que ele não perdeu a paciência em hora nenhuma.
Ele falou com o pai sobre seu sucesso e sobre como se sentia melhor em não explodir com os outros, e o pai sugeriu que ele retirasse
todos os pregos da tábua e que a trouxesse ate ele.


O rapaz trouxe então a tábua, já sem os pregos, e entregou-a ao pai.
Ele disse "estas de parabéns, meu filho, mas olha para os buracos que os pregos deixaram na tábua, ela nunca mais será como antes".
Quando falas enquanto estas com raiva, as tuas palavras deixam marcas
como essas. Podes enfiar uma faca em alguém e depois retira-la, mas não importa quantas vezes pecas desculpas, a cicatriz ainda continuara lá. Uma
agressão verbal e tão violenta como uma agressão física.

14 de julho de 2010

POR SER EXATO O AMOR NÃO CABE EM SI, POR SER ENCANTADO O AMOR REVELA-SE,
POR SER AMOR INVADE E FIM...

1 de julho de 2010


" PERDOAR NÃO É JUSTIFICAR, PERDOAR TB NÃO É FINGIR... NÃO PODEMOS ENCOBRIR A TRAIÇÃO DO OUTRO, MAS PODEMOS TRATAR DE FORMA DIFERENTE...


PERDOAR É SEGUIR EM FRENTE, NÃO PENSAR MAIS NA OFENSA.
VC NÃO JUSTIFICA, ENDOSSA OU ACEITA O OFENSOR QUANDO O PERDOA...NÃO ENCOBRIU A FALHA DO OUTRO, APENAS PERDOOU...

MAX LUCADO


Fiquei magoado, não por me teres mentido, mas por não poder voltar a acreditar-te.




Quando querem transformar
Dignidade em doença
Quando querem transformar
Inteligência em traição
Quando querem transformar
Estupidez em recompensa
Quando querem transformar
Esperança em maldição:
É o bem contra o mal
E você de que lado está?


No adultério há pelo menos três pessoas que se enganam.

Carlos Drummond de Andrade.


________________

A primeira traição enfraque o amor, a segunda derruba.