23 de junho de 2009


O beijo fulmina-nos como o relâmpago, o amor passa como um temporal, depois a vida, novamente, acalma-se como o céu, e tudo volta a ser como dantes. Quem se lembra de uma nuvem?

Guy Maupassant

Entre nós
o desejo
entre nós
nosso tempo.
Não vá nos deixar
sem seu beijo
se tudo o que há
não é muito mais
do que um momento.

Quanto mais
eu te quero
mais sei esperar
eu espero...

Adriana calcanhotto

Nenhum comentário: